MULHERES MATEMÁTICAS QUE FIZERAM HISTÓRIA

 

MULHERES MATEMÁTICAS

 

 

Hypatia(370? - 415 )

A vida de Hypatia foi enriquecida com uma paixão para o conhecimento. Hypatia era a filha de Theon, que foi considerado um dos homens mais cultos de Alexandria, Egipto. Theon colocou Hypatia em um mundo de instrução. A maioria de historiadores reconhecem agora Hypatia não somente como uma matemática e uma cientista, mas também como uma filósofa.

Os historiadores são incertos em diferentes aspectos da vida de Hypatia. Por exemplo, a data de seu nascimento é debatida atualmente. Alguns historiadores acreditam que Hypatia nasceu no ano 370. Outros afirmam que era uma mulher mais velha (ao redor 60 anos) na época de sua morte, assim tendo seu nascimento no ano 355.

Durante todo sua infância, Theon levou Hypatia em um ambiente de idéias. Os historiadores acreditam que Theon tentou levantar o ser humano perfeito. Theon ele mesmo era um intelectual bem conhecido e professor de Matemática na Universidade de Alexandria. Theon e Hypatia tiveram uma ligação muito forte enquanto ensinou a Hypatia seu próprio conhecimento e compartilhou de sua paixão na busca para respostas do desconhecido. Enquanto Hypatia crescia e ele ficava mais velho, começou a desenvolver um entusiasmo para a matemática e as ciências (astronomia e astrologia).

A maioria de historiadores acreditam que Hypatia superou o conhecimento do seu pai ainda nova. Entretanto, quando Hypatia estava ainda sob a disciplina do seu pai, desenvolveu também para ela uma rotina física para assegurar para ela um corpo saudável para uma mente altamente funcional. Em sua educação, Theon instruiu Hypatia em diferentes religiões do mundo e ensinou-lhe como influenciar pessoas com o poder das palavras. Ensinou-lhe os fundamentos do ensino, de modo que Hypatia se transformasse uma oradora eficaz .Pessoas de outras cidades vieram estudar e aprender com ela.

Os estudos de Hypatia incluíram a astronomia, a astrologia, e a matemática. Referências em escrito de Synesius, um de seus estudantes, credita a Hypatia a invenção do astrolábio, um dispositivo usado para estudar a astronomia. Entretanto, outras fontes datam este instrumento ao menos um século mais cedo. Claudius Ptolemy escreveu extensivamente sobre o uso do astrolábio plano, e o pai de Hypatia escreveu um treatise do astrolábio o que foi a base para muito do que foi escrito mais tarde na idade média. Hypatia ensinou sobre astrolábio porque Synesius fez um instrumento para que fosse usado como um formulário do astrolábio.

Hypatia ficou mais conhecida pelo trabalho que fez na matemática do que na astronomia, primeiramente em seu trabalho nas idéias das seções cônicas introduzidas por Apollonius. Editou o trabalho no Conics de Apollonius , que dividiu cones nas peças diferentes por um plano. Este conceito desenvolveu as idéias dos hipérboles, das parábolas, e das elipses. O trabalho de Hypatia neste livro importante, fez os conceitos ficarem mais fáceis de se compreender, assim fazendo o trabalho sobreviver muitos séculos. Hypatia foi a primeira mulher há ter um impacto tão profundo na sobrevivência do pensamento adiantado na matemática.

Hypatia viveu em Alexandria quando o cristianismo começou dominar as outras religiões. Nos anos próximos a 390, houve motins contra as religiões diferentes. Nessa época vivia Cyril, um líder entre os cristãos, e seu rival Orestes, o regulador civil, o qual era amigo de Hypatia. Acredita-se que Cyril espalhou boatos horríveis sobre ela para atingir seu rival. Hypatia foi atacada por uma multidão, apedrejada e morta .Mais tarde, o motim arrastou-a através das ruas.

A vida de Hypatia terminou tragicamente, porém seu trabalho de vida remanesceu. Mais tarde, Descartes, Newton, e Leibniz expandiram seu trabalho. Hypatia fez realizações extraordinárias para uma mulher em seu tempo. Os filósofos consideraram-na uma mulher de grande conhecimento e uma excelente professora.

Referências

  1. Deakin, Michael. "Hypatia e sua matemática," a revista mensal matemática americana , 101 , no. 3 (março 1994), 234-243. (disponível no Web site http://www.matharticles.com de Houghton Mifflin sob a seção 9,1 nos menus da gota para baixo.)
  2. Hypatia de Alexandria, transcript de uma conversa por Michael Deakin, archived em http://www.abc.net.au/rn/science/ockham/or030897.htm
  3. As fontes preliminares para a vida e o trabalho de Hypatia de Alexandria por Michael Deakin.
  4. Knorr, Wilbur. "em Hypatia de Alexandria," em estudos textual em Geometria antiga e medieval , Birkhauser, 1989.
  5. Dzielska, Maria. Hypatia de Alexandria. Cambridge: Imprensa Da Universidade De Harvard, 1995.
  6. Osen, Lynn M. Mulheres na matemática. Estados Unidos: Imprensa de Instituto de Tecnología de Massachusetts, 1974.
  7. Perl, Teri. Biografias de matemáticos das mulheres e de atividades relacionadas. Estados Unidos: Addison-Wesley, 1978.
  8. Neugebauer, Otto A., "o history adiantado do Astrolabe", da "astronomia e do history: Essays Selecionados ", Springer-Verlag (1983).
  9. Dicionário da biografia científica
  10. Hypatia, history de MacTutor dos arquivos da matemática,

 

 

Cecilia Krieger,Cypra -Dunaij (9 de abril de 1894 - 17 de agosto de 1974) foi uma austro-húngaro (mais especificamente, o galego)-nascidos matemático do alemão, húngaro e polaco ancestralidade, que viveu e trabalhou no Canadá.  Krieger foi a primeira mulher (e apenas a terceira pessoa) para ganhar um Doutoramento em Matemática de uma universidade do Canadá, em 1930 [1], assim como a terceira mulher de ter sido atribuído um doutorado em qualquer disciplina, no Canadá, [ 2]. . Krieger é bem conhecido por ter traduzido duas obras de Sierpinski em geral topologia.  O Krieger-Nelson Prémio, atribuído anualmente pela Canadian Mathematical Society desde 1995 para a investigação pendente por uma mulher matemática, é denominado em honra de Krieger e Evelyn Nelson [1].

 Krieger foi nomeado como um instrutor em 1928 e promovido ao Professor em 1930, quando ela completou seu Ph.D [2].  Krieger continuou trabalhando no posto de Professor até que ela foi promovido a professor assistente na Universidade de Toronto em 1942.. Ela ensinou tanto no Departamento de Engenharia e do Departamento de Matemática [2].  Krieger casou-se em 1953.

Krieger foi uma firme defensora das mulheres em matemática. I Em honra dos contributos de Krieger e Evelyn Nelson, o Canadian Mathematical Society criou o Krieger-Nelson Prize, em 1995.   É atribuído a uma mulher notável em matemática.

Fonte traduzida de : http://en.wikipedia.org/wiki/Cecilia_Krieger


Elizaveta Fedorovna Litvinova (1845-1919?) Foi uma  matemática russa e pedagoga.. Ela é autora de mais de 70 artigos sobre educação matemática.

 Nascido em 1845 na Rússia como czarist Elizaveta Fedorovna Ivanshkina, ela completou a sua educação precoce em uma escola secundária feminina em São Petersburgo.  Em 1866 casou Elizaveta Litvinov Viktor, que, ao contrário de Vladimir Kovalevskii (marido de Sofia), não permitiria a sua deslocação à Europa para estudar nas universidades de lá.  Assim, Litvinova passou a estudar com Strannoliubskii, que também tinha privadamente acompanhada de Kovalevskaya.

 Em 1872, logo que o marido morreu, Litvinova foi para Zurique e matriculadas em um instituto politécnico.  Em 1873 o czar russo russo decretou que todas as mulheres russas que estudavam, em Zurique teve de regressar à Rússia, ou enfrentar as consequências.  Litvinova foi uma das poucas a ignorar o decreto e ela permaneceu em Zurique e  continuou seus estudos, dando-lhe bacharelato em Zurique em 1876 e seu doutorado em 1878 pela Universidade de Berna.

Quando Litvinova  regressou à Rússia,a ela foi negada  nomeações em universidades porque ela havia desafiado o decreto de  1873. . Ela ensinou em uma escola secundária feminina e completado seu escasso rendimento por escrito biografias dos mais famosos matemáticos tais como Kovalevskaya e Aristóteles.  Após aposentar, acredita-se que Litvinova morrera durante a Revolução Russa em 1919.

 

 

Elena Lucrezia Cornaro Piscopia(Junho 5, 1646 - Julho 26, 1684)

 Elena Lucrezia Cornaro Piscopia nasceu em uma família nobre em 5 de julho de 1646 em Veneza, Italy. Seu pai, Giovanni Baptista Cornaro, era o Procurador de San Marco e altamente considerado. A mãe de Elena, Zanetta Giovanna Boni, não era membro de classe privilegiada antes da sua união. O pai de Elena gastou sua vida para estabelecer o nome de Cornaro, um nome que devesse ser recordado para sempre por causa do intelecto da sua filha mais velha.

Começando aos 7 anos de idade, Elena Piscopia recebeu o conhecimento das línguas clássicas do latin e do grego,estudando a gramática e a música. Além de falar latim e o grego fluentemente , Elena dominou hebreu, espanhol, francês, e o árabe. Seu domínio das línguas trouxe o título Oraculum Septilingue. Elena exibiu também poderes maravilhosos de raciocínio. Era uma estudante das ciências assim como das línguas, e estudou a matemática e a astronomia além da filosofia e da teologia. O grande amor de Elena era para com a filosofia e o teologia. Seu pai em 1672 a enviou à distinta Universidade de Pádua para continuar com seus estudos.

Elena Piscopia não procurou graduação na universidade de Pádua; quis simplesmente continuar sua aprendizagem. Entretanto, Giovanni Cornaro insistiu que o mundo reconhecesse o conhecimento incrível de sua filha. Assim, com sua insistência, Elena aplicou-se em um Doutorado de teologia na Universidade de Pádua. Elena encontrou resistência em seus estudo. Os oficiais da igreja católica romana recusaram conferenciar o título de Doutor em Teologia a uma mulher. Elena aplicou-se, outra vez, pela insistência do seu pai. Desta vez a igreja comprometeu-se e permitiu que Elena Piscopia recebesse Doutorado em Filosofia.

A examinação de Elena Piscopia para o doutorado em filosofia deveria ser realizado no salão da Universidade de Pádua, mas devido a quantidade de espectadores foi transferido para a catedral de Pádua. Durante todo sua examinação, as respostas brilhantes de Elena espantaram seus examinadores, que determinaram que seu vasto conhecimento superava o Doutorado de filosofia e, em 25 de junho de 1678 Elena Lucrezia Cornaro Piscopia recebeu o Doutorado de Filosofia da Universidade de Pádua. Aos 32 anos de idade era a primeira mulher no mundo a receber grau de doutorado. Além do grau do doutorado, Elena Piscopia recebeu a capa de eminente professora, e coroa do laurel do poeta.

Aos 17 anos de idade Elena Piscopia foi considerada perita em musica . Elena dominou vários instrumentos, entre eles: a harpa e o violino. Seu auge musical foi coroado pela música que compôs.

Elena Piscopia era membro estimada de vários academias em todo a Europa, e recebeu visitas de alunos de todas as partes do mundo. Elena apreciou lecionar, dando aulas de música, de teologia, e composição. Margaret Alic indica que ela se transformou em professora de matemática na universidade de Pádua em 1678. Seus escritos foram publicadas em 1688 em Parma, Italia após sua morte. Hoje os informes de Elena Piscopia é citado extensamente por outros mestres e escritores.

Após ter recebido com sucesso seu grau da universidade de Pádua, Elena Piscopia devotou sua vida a caridade. Abdicou seu lugar na sociedade e recusou diversas uniões importantes, usando o hábito da ordem das beneditinas. Durante os últimos sete anos de sua vida, Elena focalizou-se na aprendizagem e em ministrar aulas aos pobres.

Elena Lucrezia Cornaro Piscopia morreu aos trinta e oito anos de idade em julho em 26, 1684. Sua morte acreditasse que tenha sido causada pela tuberculose. O último desejo de Elena era ser enterrada na igreja de Santa Giustina em Pádua, Italia. Em Abbess 1895 Mathalida Pynsent da ordem das beneditinas inglesas de Roma abriu o túmulo de Piscopia, seu corpo estava conservado em um caixão de boa aparência e havia uma placa perto de sua , exortando suas virtudes e fatos relacionando a sua vida..

Em 1685 a Universidade de Pádua teve uma medalha golpeada na honra de seu estudante grande. Hoje a estátua de Elena Lucrezia Cornaro Piscopia Universidade esteemed de Pádua em Italy. É recordada nos estados unidos pela janela de vidro manchada na faculdade de Vassar que a descreve que defende seus theses na catedral de Pádua.

Referências

  1. Forbush, Gabriell E. "Perdeu Mulheres." MS. vol. 3, no. 56, janeiro 1975, p.56 compilado por Judith Wilson.
  2. Fusco, Nicola. Elena Lucrezia Cornaro Piscopia: 1646-1684. Pittsburgh: O comitê unido dos estados para o Elena Lucrezia Cornaro Piscopia Tercentenary. 1975. Primeira Edição Limitada.
  3. Ritmo. E. A . "Cornaro." Enciclopédia Catholic Nova. Vol. 4, 1967.
  4. Remiddi. Marcia. "uma mulher do grau elevado." Correio Do Unesco, Vol. 31, Julho 1978, 12-13.
  5. Alic, Margaret. Heritage De Hypatia: Um history das mulheres na ciência do throguh do antiquity o décimo nono século, imprensa da baliza, Boston

 

 

"Emmy",Amalie Noether ( Erlangen, 23 de março de 1882 — Bryn Mawr, 14 de abril de 1935)

Foi uma matemática e física alemã.Trabalhou nas áreas de teoria dos anéis e álgebra abstrata. Elaborou o

Teorema de Noether, que explica as conexões entre simetria e as leis de conservação em física teórica.

A maior parte de seu trabalho, no entanto, foi centrada no estudo de álgebra.

Ficou conhecida  por Teorema de Noether

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Emmy_Noether

 

 


Christine Ladd-Franklin(1º de dezembro de 1847 – 05 de março de 1930)

Christine Ladd nasceu em Windsor, Connecticut em 1847. Após estudar na Academia Wesleyan de Massachussetts por dois anos, ela entrou para a Faculdade Vassar em 1866, mas teve que sair devido a dificuldades financeiras. Durante o ano seguinte ela deu algumas aulas e continuou seus estudos em trigonometria, biologia e línguas por conta própria. Seu interesse por línguas possibilitou a tradução de "Des Madchens Klage" de Schiller, para o inglês, o qual foi publicado no jornal local de Hartford. No outono de 1868 Ladd retornou à Vassar, graduando-se um ano depois.

Apenas depois de sair da faculdade que Ladd começou seus sérios estudos na matemática. Ela publicou soluções para problemas matemáticos no "Educational Times" de Londres e no jornal americano "The analyst", e até estudou matemática em Harvard com W. E. Byerly e James Mills Peirce. Com o apoio do matemático inglês J.J. Sylvester, Ladd foi permitida a cursar os cursos de graduação em matemática na Universidade Johns Hopkins, apesar desta universidade não ser aberta para mulheres. Lá, ela desenvolveu interesses na lógica dos símbolos, escrevendo a dissertação "A lógica da álgebra" e publicando freqüentemente muitos outros artigos no "The analyst". Entretanto, Johns Hopkins não permitiu que mulheres recebessem a graduação de Ph.D, então Ladd deixou a escola em 1882 sem um reconhecimento oficial.

Em 1882, Ladd casou-se com Fabian Franklin, membro do departamento de matemática na Universidade Johns Hopkins. Eles tiveram dois filhos, mas apenas uma filha sobreviveu até a fase adulta da vida. Ladd-Franklin continuou trabalhando com a lógica dos símbolos tanto quanto com o campo de física ótica. Esta última área levou-a à pesquisa da ótica das cores da visão, uma área em que ela trabalhou por trinta e sete anos. Em 1929, Ladd-Franklin publicou sua coleção de trabalhos sobre as cores da visão entitulada "Colour and Colour Theories" (Cores e Teorias das Cores).

Ladd-Franklin recebeu muitas honras durante sua vida. Ela foi uma professora em lógica e psicologia por cinco anos na Universidade Johns Hopkins e por mais ou menos quinze anos na Universidade de Columbia. Ela recebeu um honorário de graduação LL.D. em 1887 da Faculdade Vassar e em 1926 foi finalmente reconhecida como Doutorada na Johns Hopkins, quarenta e quatro anos depois de completar sua dissertação. Durante sua vida ela ganhou a causa de graduação educacional e empregos acadêmicos para mulheres. Por dezessete anos ela ajudou a administrar a Sociedade Sarah Berliner para apoiar mulheres com Ph.D. em suas pesquisas. Christine Ladd-Franklin morreu de pneumonia em 1930, em Nova York.

fontes: http://paginas.terra.com.br/educacao/calculu/Historia/christineladd.htm

 


Edna Kramer Lassar(11 de maio de 1902 – 09 de julho de 1984)

Edna Ernestine Kramer nasceu em Manhattan em 1902. Ela era a primogênita de dois imigrantes judeus, Joseph Kramer e Sabine Elowitch Kramer. O nome Edna foi colocado por seu tio, Edward, que tinha um dom para a matemática. Ele ansiava ser engenheiro, mas morreu muito cedo para realizar seu sonho. Edna Kramer quis continuar o sonho do tio em relação a matemática, então decidiu tornar-se matemática em sua honra.

A família Kramer enfatizou a importância da eduacação e se empenhou nisto. Cada criança na família foi apoiada por altos padrões. Eles foram ótimos estudantes no colégio, receberam honras e tornaram-se professores. Não só os pais tiveram larga participação na excelente carreira de Edna Kramer, mas também sua tia Therese Elowitch e sua prima Josephine Schwartz. Quando iniciou a escola primária, Edna já havia estudado matérias de alto nível que sua prima Josephine trouxera para casa.

O primeiro desejo de Edna era ser uma professora de alemão, mas esse desejo foi destruído pela Guerra Mundial. Nesta época, uma nova pessoa surgiu em sua vida, John A. Swenson, presidente do departamento de matemática da Escola Secundária Wadleigh. Ele revelou o conhecimento matemático que Edna possuía. Em 1922 Edna Kramer recebeu seu B.A (Bachelor of Arts) do Centro de Ensino Hunter onde ela se especializou em matemática. Ela foi eleita como membro das sociedades honorárias matemáticas Pi Mu Epsilon e Phi Beta Kappa. Ela graduou-se na Universidade de Columbia enquanto lecionava na Escola Secundária DeWitt Clinton no Bronx, Nova York e na Escola Secundária Wadleigh. Kramer recebeu se M.A (Master of Arts) em matemática em 1925 e seu Ph.D em matemática com uma noção de física em 1930. Ela continuou seus estudos em tempo integral no Instituto Courant na Universidade de Nova York de 1939-1940 e 1965-1969. E também estudou na Universidade de Chicago em 1941.

Com alguma ajuda financeira de Swenson, ela tornou-se a primeira instrutora feminina de matemática no Centro de Ensino dos Professores do Estado de New Jersey em Montclair. Enquanto permaneceu em Montclair, Kramer foi convidada para ser co-autora de um livro de escola secundária juntamente com alguns colegas. Ela teve que recusar a oferta devido a sua lealdade a Swenson. Esta lealdade originou-se de propostas curriculares e Kramer não queria competir com a autoria dos livros de Swenson. Embora tenha recusado a oferta, ela colaborou com algumas idéias, correções, exercícios e aplicações para o livro. Com seu próprio livro nas estatísticas, Kramer deu créditos a seus colegas pela influência.

Em dois de julho de 1935, Edna Kramer casou-se com Benedict Taxier Lassar. Lassar era professor de francês e conselheiro geral na Escola Secundária Abraham Lincoln no Brooklyn, Nova York. Lassar graduou-se no Centro de Ensino da cidade de Nova York e na Universidade de Columbia. Ele finalmente aposentou-se no Centro de Ensino de Nova York em 1962 e tornou-se psicólogo em 1964. Lassar encorajou os interesses de Edna em lecionar e escrever. Eles viajaram pelos Estados Unidos, Canadá, e pelo Oriente. Os dois livros mais importantes de Kramer foram dedicados a Lassar por sua forte influência e o papel que exerceu em sua vida.

A depressão afetou Kramer de modo diferente da maioria das pessoas. Embora o anti-semitismo, a discriminação das mulheres, e baixos salários tenham causado um grande dano ao seu trabalho de pesquisa e ensino, ela foi capaz de superar estas dificuldades. Ela assumiu a posição de professora no Centro de Ensino de Nova York em 1934, onde seu salário dobrou e ela tornou-se a ativa presidente do departamento. Durante o período de 1935-1938 ela ensinou um método curricular na graduação escolar no Centro de Ensino Brooklyn. Entre 1943-1945 ela trabalhou longas horas na Escola Secundária Jefferson e longas noites na Universidade de Columbia. Depois trabalhou na Divisão de Pesquisa de Guerra da universidade sob o comando do escritório de Pesquisas e Desenvolvimentos Científicos de Washington, D.C. Em 1948, ela começou seu último trabalho com o Instituto Politécnico de Nova York, passando de instrutora à professora em 1953. Aposentou-se no Centro de Ensino de Nova York em 1956 e no Instituto Politécnico em 1965.

Enquanto trabalhava, pertenceu à Sociedade Matemática Americana, à Associação Matemática da América, à Sociedade Matemática da França, à Associação das Mulheres na Matemática, à Associação Americana para o Avanço das Ciências, à História da Sociedade Científica, e à Academia de Ciência de Nova York. Após se aposentar, permaneceu ocupada com publicidade, viagens e estudos. De 1965-1969, ela atendeu turmas no Instituto Courant, e em 1973 foi convidada a dar uma palestra sobre "As contribuições femininas, no passado e no presente para o desenvolvimento da matemática" na Universidade Nanuarg, em Cingapura.

O melhor trabalho de Kramer é considerado o livro: "A natureza e o crescimento da matemática moderna", publicado em 1970. Esta obra demorou quatorze anos para ser completada. Em 1972 foi elegida para o Hall da Fama no Centro de Ensino Hunter. Em 1984, Edna Ernestine Kramer Lassar morreu após lutar contra o Mal de Parkinson. Mesmo não tendo vivido muito, seus muitos livros ainda são lidos e estudados atualmente, incluindo "Primeiras Noções em Estatísticas Educacionais", "Asas da Matemática: Uma Viagem pela Matemática Secundária", e "O Guia da Matemática".

Fontes:http://paginas.terra.com.br/educacao/calculu/Historia/ednakramerlassar.htm


Florence Eliza Allen (1876-1960)

 4 de outubro, 1876 - 31de Dezembro, 1960

Florença Allen nasceu em 4 de outubro de 1876 em Horicon. Ela recebeu sua graduação e mestrado na Universidade de Wisconsin em 1900 e 1901, respectivamente. Em 1907 ela se tornou a segunda mulher a receber um Ph.D., em matemática na Universidade de Wisconsin-Madison, o quarto e doutorado geral daquele departamento. Sua tese foi intitulada "A involuções ciclo de terceira ordem determinada pelas redes de curvas de carência 0, 1 e 2". Foi publicado no Quarterly Journal of Mathematics, vol. 45 (1914) [. Ela permaneceu na Universidade de Wisconsin como instrutor de matemática para os próximos trinta anos, a publicação de dois artigos mais sobre "uma certa classe de Transcendental Curves" e "Encerramento do Processo tangencial no Plano Racional cúbico". Allen foi promovido a professor adjunto em 1945, e aposentou-se dois anos depois. Ela era um membro da Phi Beta Kappa Society.
Referências

   
1. Woman's Who's Who of America: Um dicionário biográfico da mulher contemporânea dos Estados Unidos e Canadá. 1914-1915. John William Leonard, Editor-Chefe. Nova York: The American Commonwealth Co., 1914.
   
2. Helen Brewster Owens Papers. Schlesinger Library, Radcliffe College.
   
3. Mathematics Genealogy Project

Mathematics Genealogy Project Mathematics Genealogy Project

 


Krystyna Kuperberg(17 de julho de 1944 -)

Krystyna Kuperberg nasceu em Tarnow, Polônia. Ela recebeu seu Ph.D da Universidade Rice em 1974. Ela é atualmente Professora de Matemática Alumni na Universidade de Auburn. Encontrou um ótimo exemplo para a conjuntura Seifert de 1950 onde todo o campo do vetor nulo nas três esferas tem pelo menos uma órbita fechada. A construção foi rapidamente reconhecida por ajudar na análise e posição da P.L.

Fontes:http://paginas.terra.com.br/educacao/calculu/Historia/krystyna.htm


Marguerite Lehr( 1898 - 1987 )

Marguerite Lehr nasceu em  Baltimore, Maryland, em 22 de  Outubro de1898 , sendo a mais velha de cinco filhos do dono de uma mercearia. Frequentou as escolas públicas de Baltimore. Ironicamente a primeira e única matéria em que teve dificuldade foi o primeiro trimestre de Álgebra, mas, como ela disse mais tarde, "Podia ter sido dócil e aprendido as regras, passei o segundo trimestre com 95". Uma vez comentou que , enquanto crescia, não sabia se era bom para uma rapariga ser barra em matemática".

Foi a única da sua família a ir para a faculdade. Frequentou a faculdade de Goucher onde se especializou em matemática e foi aluna de Clara Bacon. Era membro do clube da matemática e em 1918 introduziu um novo tema no clube" geometria de quatro dimensões". Depois do seu  B.A.(Bachelor of Arts) em Matemática, em 1919,foi para a Faculdade Byrn Mawr, como aluna graduada para assistente de Charlotte A. Scott. Como sua assistente Lehr podia intervir nas aulas e dar aulas quando Scott ficou completamente surda. Também estudou com as professoras Anna J. Pell e W.B. Huff. Foi a última aluna de Scott, graduando-se em matemática e física em 1925 com a dissertação "The plane quintic with five cusps" publicada em Abril de 1927 no Jornal Americano de Matemática.

Foi nomeada presidente da Sociedade Europeia M. Carey Thomas de Bryn Mawr em 1920, adiou essa participação até 1923, quando, em conjunto com a Sociedade Europeia AAUW passou os anos lectivos 1923-1924 na Universidade de Roma a estudar geometria algébrica. Enquanto esteve em Roma foi indicada para professora de matemática na Faculdade Byrn Mawr, aceitando o cargo depois de regressar em 1924, onde permaneceu até ao fim da sua vida profissional progredindo na sua carreira académica. Fez um trabalho de pós-graduação adicional na Universidade Johns Hopkins (1931-1932), no Instituto Poincaré em Paris (1940-1950) e na Universidade de Princeton (1956-1957).

Durante a II Guerra Mundial, Lehr ensinou matemática no Serviço de Informações dos E.U.A. no programa de treino de guerra para fotogrametistas em Byrn Mawr e  no programa V-12 ensinou durante um Verão, na Universidade de Swarthmore.

O seu principal interesse depois de 1945 foi a teoria das probabilidades e as suas aplicações e a educação matemática, particularmente o uso da televisão no ensino da matemática. De outubro de 1953 a Janeiro de 1954 conduziu com grande sucesso aulas na televisão de Filadélfia, num programa  chamado Universidade no Ar. Na opinião de Lehr, estas conversas,  "Convite para a Matemática, serviam para mostrar ao telespectador médio o objectivo da matemática, a orientação matemática como uma ajuda natural e poderosa para a organização da  nossa experiência". Como parte do curso, Lehr preparou  um programa de estudos de resumos e leituras . O programa começava assim:

      Muita gente associa a matemática a dar respostas ou provar teoremas e é  fácil ver porquê. A matemática dá-nos boas regras para obter respostas rápidas e acumula boas razões para termos confiança nessas regras. Mas a vida ensina-nos que se aprendermos a fazer boas perguntas ,as respostas vêm e muitas vezes mais poderosas do que quando nos esforçávamos por obtê-las. Por isso estas conversas prendem-se com o suscitar de questões - questões de importância prática ou de pura curiosidade - questões sobre os números, espaço, padrões, lógica que os matemáticos sabem que vale a pena para aumentar a nossa compreensão do mundo em que vivemos. Está errado se pensa que estas questões são especiais, técnicas, só dizendo respeito a algumas pessoas dotadas. Quase todas as crianças fazem coisas, perguntam sobre coisas que tocam um aspecto matemático da experiência. Ela espera uma regra ( o que fazer); pode estar à procura de uma razão (porque funciona); a própria matemática gira entre regras e razões. Nestas conversas as observações naturais das crianças serão por vezes usadas, para ilustrar ou para o surpreender com uma atitude de observador curioso. Mesmo o dicionário , em "mathematic - fr. Grego" dá primeiro mathematikos - disposto a aprender, e só em segundo lugar mathemata - coisas aprendidas.

Os tópicos das leituras revelam o tipo de questões que Lehr queria investigar com a sua audiência:

  1. Formas regulares de telhas, pirâmides e favos de mel.
  2. Padrões regulares e simetrias.
  3. Produtos e números primos: a tabuada estabelece um padrão.
  4. Juntar e contar: grande e infinito.
  5. Questões a que os números naturais não respondem.
  6. Mapa, terra ou vice-versa.
  7. Rotas, mapas e redes(teoria dos grafos).
  8. Kepler.
  9. Medindo o " em que medida é provável?"(probabilidade).
  10. Medindo o "quanto é que é provável?"(estatística).
  11. Ideias do Espaço a partir do conhecimento de curvas e superfícies.
  12. Questões da minoria e maioria.
  13. Sempre? Nunca? Às vezes? (lógica e prova matemática).
  14. O que é a matemática?

Era a época da TV ao vivo; as conversas eram impossíveis de ensaiar! Mas foi também a primeira experiência de um programa durável com matemática, preocupado não com as técnicas da matemática mas com a motivação para conceitos correntes. Lehr tornou-se numa perita em apresentar programas de matemática na televisão. Foi convidada para os encontros nacionais da Associação Matemática da América e Conselho Nacional de Professores de Matemática, foi membro do painel de discussão de "problemas pedagógicos de matemática via TV" em 1954 na Universidade Princeton. Em Abril de 1954 recebeu o prémio da Universidade Goucher em reconhecimento do seu trabalho. Nessa altura o Presidente dessa instituição disse:

"Excelente aluna e professora inspiradora, lembrada como a melhor na educação clássica mas sem medo de explorar e utilizar novas ideias e métodos, fez notáveis contribuições para a educação não só ajudando os outros a compreender a natureza da matemática e o seu papel no mundo moderno, mas também demonstrando e explicando a disciplina do saber e o seu valor intrínseco".

Tornou-se membro do Comité MAA de Projecto de Filmes que produziu uma série de filmes educativos num esforço para atingir professores e estudantes que não tinham acesso a centros activos de matemática corrente. Em 1957 a  NBC contratou Lehr como consultora para uma série de programas de matemática com convidados como Emil Artin, H.M.S.Coxeter, Saunders Maclean, William Feller, Richard Courant e muitos outros excepcionais matemáticos e professores.

Durante 1958-59 fez uma das seis conferências no programa da MAA, financiado pela Fundação Nacional da Ciência. O objectivo deste programa era desenvolver a ligação entre o trabalho avançado nas universidades e a investigação em curso em matemática. Professores como Lehr visitavam universidades que não estavam em contacto com centros de pesquisa. Durante o ano viajou por Nova Inglaterra, o norte de Nova Yorque, Ohio, Kansas, Iowa e Minnesota.

Marguerite Lehr  reformou-se em 1967. Depois disso recebeu o Prémio Christine R. e Mary F. Lindback " reconhecendo-a como uma brilhante professora que gerações de estudantes lembrarão". Foi membro da Sociedade Americana de Matemática, da Associação Matemática da América, Do Institurto de Estatística Matemática, da Sociedade Biométrica, participou nos comités de condecorações da Federação Internacional de Universidades de Mulheres e da Fundação Nacional Woodrow Wilson. Numa entrevista com Pat Kenshaft, lehr notou que " a experiência mais rica da minha vida foram os oito anos que passei a entrevistar candidatos para a sociedade de graduação Woodrow Wilson"

 

 

Publicações de Marguerite Lehr

  1. "The plane quintic with five cusps," American Journal of Mathematics, Vol. 49, No. 2 (April 1927), 197-214.
  2. "Generating involutions of infinite discontinuous Cremona groups of S4 which leave a general cubic variety invariant," with Virgil Snyder, American Journal of Mathematics, Vol. 53, No. 1 (January 1931), 186-194.
  3. "Regular linear systems of curves with the singularities of a given curve as base points," American Journal of Mathematics, Vol. 54, No. 3 (July 1932), 471-488.
  4. Forward to Children Discover Arithmetic-An Introduction to Structural Arithmetic, by Catherine Stern, Harrup & Co., London, 1953.
  5. "A television program in mathematics," Bryn Mawr Alumnae Bulletin, Fall 1954, 8-9.
  6. "An experiment with television," American Mathematical Monthly, Vol. 62, No. 1 (January 1952), 15-21.
  7. "Of dice and men," Goucher Alumnae Quarterly, Fall 1956, 10-13.
  8. "Charlotte Angas Scott," in Notable American Women, 1607-1950, Belnap Press of Harvard University Press, 1971, 249-250.

    Este texto foi traduzido de www.agnesscott.edu/lriddle/women/lehr.htm

 


Marie Litzinger(1899-1952) Nasceu dia 14 de Maio de 1899 e morreu no dia 07 de Abril de 1952. Recebeu seu diploma de Bacharel em Artes em 1920 e seu diploma de Mestrado em Artes em 1922 da Faculdade Bryn Mawr. Lecionou na Escola Devon Manor enquanto trabalhava em sua graduação de mestra.

Foi condecorada pela Sociedade Européia Bryn Mawr após sua graduação em 1920, a qual usou para estudar na Universidade de Roma durante 1923-24. Após lecionar na Academia Greenwich por um ano, ela entrou para o departamento de matemática do Centro de Ensino Mount Holyoke em 1925 onde ensinou até sua morte em 1952.

Durante este período ela continuou seus estudos de graduação e recebeu seu Ph.D em 1934 pela Universidade de Chicago com a tese "A base para polinômios residuais em variáveis". Esta foi publicada em março de 1935 no assunto de Transações da Sociedade Matemática Americana. Litzinger tornou-se presidente do departamento de matemática de Mount Holyoke em 1939.

Na época de sua morte, o noticiário Byrn Mawr Alumnae a elogiou pela "maneira que Marie havia erguido o Departamento de Matemática e encorajado a cooperação entre os departamentos de matemática Smith, Amherst e Mt. Holyoke."Ensinou na escola do manor do Devon ao trabalhar em seu grau de master's. Tinha sido concedida um fellowship europeu de Bryn Mawr em cima de sua graduação em 1.
Foi promovida ao professor assistente em 1928 e ao professor de associado em 1937. Durante este tempo continuou seus estudos graduados e recebeu seu PhD D em 1934 da universidade de Chicago com um thesis na base do "A para polynomials residuais em n Variables." Isto foi publicado nas transações da sociedade matemática americana, Litzinger transformou-se cadeira do departamento da matemática na montagem Holyoke em 1937 e foi promovido ao professor cheio em 1942Foi promovida ao professor assistente em 1928 e ao professor de associado em 1937.
Fonte: http://pekenas2007.blogspot.com/2007/09/contribuies.html

 

 


Mayme I. Logsdon(1881-1967) Nasceu em 1 de fevereiro de 1881  e faleceu em  4 de julho de 1967. Agricultor Logsdon Mayme Irwin nasceu em Elizabethtown, Kentucky, o segundo dos sete filhos do juiz James Irwin e David Bell Nannie Agricultor. Ela casou AH Logsdon, em 1900, com a idade de dezenove, mas seu marido morreu muito jovem. Ela entrou na Universidade of Chicago em 1911, recebendo o seu Bacharelado um ano mais tarde.  Em 1913 ela começou a ensinar matemática em Hastings College, Nebraska, e também atuou como Reitora .  Durante esse tempo ela continuou seus estudos em Chicago, mestre receiveing-la em 1915.  Ela continuou a ensinar em Hastings até 1917 e, em seguida, na Northwestern College como um instrutor de matemática, mas retornou à Universidade de Chicago em 1919 para retomar a obra graduação. Ela completou seu doutorado em 1921. Em 1921,, com uma tese sobre "Redução de Equivalência e Pares de Operador Formas", escrito sob a orientação do LEDickson. Este documento foi publicado no American Journal of Mathematics, Vol. 44 (1922), 247-260 [Resumo].Logsdon Dickson era a terceira  doutoranda do sexo feminino. . Logsdon ensinou na Universidade de Chicago a partir de 1921 até à sua aposentação em 1946. Ela era a única mulher a deter uma posição regular da faculdade na Universidade de Chicago acima do posto de instrutor antes de 1982 (ela foi promovido a professor assistente em 1925 e para professor adjunto em 1930; Karen Uhlenbeck foi nomeado professor de matemática em Chicago em 1982 ). Durante 1924-25 ela estudou em Roma como um companheiro Câmara Internacional de Educação. Seus interesses eram matemáticos em geometria algébrica, uma área em que ela direcionadas quatro dissertações doutorado em Chicago, e os problemas do ensino. In 1925 she published a paper on "Complete groups of points on a plane cubic curve of genus one" . Em 1925 ela publicou um documento sobre "Complete grupos de pontos em uma curva plana cúbicos de um gênero" , em que "se faça um estudo das configurações geomerical racional dos pontos obtidos pela construção fundamental de uma ou mais conhecidos pontos racionais sobre cubics do gênero com um rácio anharmonic racional, com uma brevíssima resumo dos resultados conhecidos no caso do gênero zero. " A Mathematician Explains , Logsdon escreveu dois livros didáticos. Análise Matemática Elementar foi um dois-volumes preparação para e calculus 1933 publicado em 1932; Explica um matemático, publicados pela primeira vez em outubro de 1935 com uma segunda edição aparecendo em março de 1936, e depois reimpressos em 1961, forneceu uma não - técnicos do desenvolvimento histórico dos conceitos da aritmética, Álgebra, Geometria e de uma educação geral curso de matemática. . Ela continuou a ensinar na Universidade de Miami, na Flórida, no entanto, por mais 15 anos.

Referências

  1. Judy Green and Jeanne LaDuke. Judy Verde e Jeanne LaDuke. "Contributors to American Mathematics," in Women of Sciene, G. Kass-Simon and Patricia Farnes, eds., Indiana Univ. "Contribuintes para Americana Matemática", em Women of Sciene, G. Kass-Simon e Patricia Farnes, eds., Indiana Univ. Press 1990. Press 1990.
  2. Fennster, Della Dumbaugh. Fennster, Della Dumbaugh. "Role Modeling in Mathematics: The Case of Leonard Eugene Dickson (1874-1954)," Historia Mathematica 24(1), February 1997, 14-15. "Papel em Modelagem Matemática: O Processo de Leonard Eugene Dickson (1874-1954)," Historia Mathematica 24 (1), fevereiro de 1997, 14-15.
  3. American Men of Science: A Biographical Directory, Jaques Cattell, Editor, Science Press, 1949. Homens de Ciência Americana: Uma biográficos Directory, Jaques Cattell, Editor de Ciência Press, 1949.
  4. Helen Brewster Owens Papers. Helen Brewster Owens papéis. Schlesinger Library, Radcliffe College. Schlesinger Library, Radcliffe College.
  5. Mathematics Genealogy Project - Matemática Genealogia projeto
  6.  

Fonte traduzida de : http://www.biography-center.com/biographies/4113-Logsdon_Mayme.html

Maria_Caetana_Agnesi (Milão, 16 de maio de 1718 - Pio Albergo Trivulzio, 9 de janeiro de 1799)foi uma linguista, filósofa e matemática italiana. Agnesi é reconhecida como tendo escrito o primeiro livro que tratou, simultaneamente, do cálculo diferencial e integral. Escreveu em latim a obra "Propositiones philosophicae" (Proposições Filosóficas), publicada em Milão em 1738; mas o que a tornou notável foi o seu compêndio profundo e claro de análise algébrica e infinitesimal na obra "Instituzioni Analitiche" (Instituições Analíticas), traduzida para o inglês e para o francês.

 

 


 

Olga Alexandrovna Ladyzhenskaya(07 de março de 1922 – 12 de janeiro de 2004)

Recebeu seu Ph.D da Universidade do Estado de Leningrado em 1949 e seu Doutorado em Ciências Matemáticas-Físicas em 1953 na Universidade do Estado de Moscou. Trabalhou com as equações diferenciais dos tipos elipse, parabólica e hiperbólica nas áreas gerais lineares, quase-lineares, e não-lineares parciais (e algumas comuns), com algumas aplicações teóricas para a Navier-Strokes.

Professora de matemática do Departamento de Física da Universidade de St. Petersburg e diretora do Laboratório de Matemática-Física em St. Petersburg, filial do Instituto de Matemática Steklov da Academia Científica Russa.

Olga Ladyzhenskaya era membro da Sociedade Matemática de St. Petersburg desde 1959. Ela foi a vice-presidente por muitos anos e presidente entre 1990 e 1998.

Em um e-mail anunciando a morte de Ladyzhenskaya, o professor Max Gunzburger da Universidade do Estado da Flórida escreveu:

"Embora uma esplendorosa matemática, ela não é conhecida como uma analista de números; entretanto, ela nos forneceu as primeiras provas rigorosas (e ainda uma dentre as poucas) de convergência de um método finito diferente das equações Navier-Stokes. Mais importante ainda, seu seminário sobre as equações diferenciais parciais tem enorme e duradoura influência em quem se especializa em PDEs numéricos. Por exemplo, ela é o "L" da célebre LBB, condição que surge em meio a poucos elementos que estudam as equações Stokes e Navier-Stokes.

Olga Ladyzhenskaya superou barreiras de natureza pessoal e política para tornar-se uma dentre os matemáticos mais influentes de sua geração. Esta dama fará falta a sua família, amigos e à comunidade científica."

Em 13 maio de 2002, a professora Ladyzhenskaya foi condecorada com o grau de "Doutora de causa honorária" pela Universidade de Bonn. Os trechos seguintes são do texto Laudatio em honra da professora Ladyzhenskaya, lido na ocasião. Ele foi aqui transcrito, com permissão, do artigo "Olga Ladyzhenskaya: Uma longa vida dedicada à matemática", do professor Michael Struwe que apareceu no livro "Análises Geométricas e Equações Diferenciais Não-lineares parciais", de Stefan Hildebrandt e Hermann Karcher, publicado pela Editora Springer-Verlag (direitos autorais 2003), páginas 1-10. O artigo integral pode ser acessado na website do professor Struwe.

Olga Alexandrovna Ladyzhenskaya nasceu dia sete de março de 1922, na cidade de Kologrive, em uma família da antiga nobreza russa. Seu pai Alexander Ivanovich Ladyzhenski ensinava matemática na escola local. Ele transmitiu sua paixão por matemática não só para seus alunos, mas também para sua filha Olga Alexandrovna que desde criança mostrou um forte talento para pensamentos lógicos. Em 1939 ela foi admitida na Faculdade de Treinamento para Professores de Leningrado e entre 1941 e 1943 ela lecionou matemática para as classes seniores da Escola Secundária Kologrive. De 1943 a 1947 ela estudou matemática na Universidade de Moscou. Dentre seus professores em Moscou estavam Gel'fand, Petrovskii, Sobolev e Tikhonov. Em 1947 graduou-se com a máxima distinção; seu conselheiro de tese foi I.G.Petrovskii.

No mesmo ano ela se casou com Andrei Alexevich Kiselev, também matemático que ensinava História da Matemática na Universidade do Estado de Leningrado, e retornou para Leningrado/St. Petersburg para continuar seus estudos na Universidade de Leningrado. Lá ela também foi influenciada por Smirnov. Ela recebeu seu Ph.D em 1949 com sua tese supervisionada por Sobolev, e, na primavera de 1953, na Universidade do Estado de Moscou, ela levou a tese para se graduar em D. Sc., comparável a "Habilitação" alemã. Finalmente, em 1954 ela foi indicada professora na Universidade de Leningrado e em 1961 tornou-se diretora do Laboratório de Matemática-Física no Instituto Steklov (filial de Leningrado) onde seus sucessos matemáticos logo trouxeram seu reconhecimento, na União Soviética e no mundo.

Isto é o que podemos ler sobre a juventude e o começo da carreira matemática da professora Ladyzhenskaya por conta de A. D. Alexandrov, A. P. Oskolkov, N. N. Ural'tseva, and L. D. Faddeev na ocasião de seu 60º aniversário. Nós percebemos uma juventude vivida na tranqüilidade rural e segurança econômica na famíia de um oficial do Estado e um talento matemático cujo potencial total só revelou-se mais tarde.

Entretanto, a verdade está bem longe disto, e só pôde ser dita após as regras comunistas da Rússia acabarem. Foram dias de dificuldades para um descendente da classe nobre russa. Em 1937, o pai de Ladyzhenskaya foi preso pelos homens de Stálin. Na verdade, como Alexander Solschenizyn reuniu seu amigos de "Gulag", Alexander I. Ladyzhenski foi avisado por um camponês que seu nome estava na lista "deles"; mas ele não partiu, ele não podia abandonar os estudantes que dependiam dele. Ao ser julgado, ele foi condenado como um "inimigo do povo russo" e foi sentenciado a morte. Olga Alexandrovna Ladyzhenskaya teve sorte suficiente para ser permitida a terminar seu colegial – ao contrário de suas duas irmãs mais velhas que foram expulsas do país. Em 1939 ela passou nos exames para estudar na prestigiada Universidade de Leningrado, naquele tempo, a melhor universidade da União Soviética; entretanto, como filha de uma "classe inimiga" ela não foi admitida. Ela apenas foi permitida a entrar na Universidade de Moscou em 1943, porque a mãe de um de seus alunos conseguiu usar contatos pessoais a seu favor. Embora tenha completado sua segunda tese antes 1951 ela não foi permitida a defendê-la antes de 1953, após a morte de Stálin.

Há apenas uma explicação para tamanha adversidade, Olga Alexandrovna Ladyzhenskaya ser capaz de subir ao topo do renomado Instituto Steklov e tornar-se a incontestável diretora da Escola de Leningrado de Matemática.

A professora Ladyzhenskaya escreveu mais de duzentos e cinqüenta trabalhos matemáticos; seu estudo abrange todo o espectro das equações diferenciais parciais, estendendo-se desde as equações hiperbólicas até equações diferenciais geradas pelas funções simétricas de Hessian, e discutindo tópicos abrangentes desde desigualdades até a convergência das séries de Fourier ou aproximações de finita-diferenças das soluções. Ela desenvolveu o tratamento funcional analítico para os problemas não-lineares estacionários pela teoria de graduação de Leray-Schaude e foi pioneira na teoria de atrativos para equações dissipativas. Ela é autora de três monografias que têm maravilhosamente influenciado o desenvolvimento do campo das equações diferenciais parciais durante a segunda metade do último século.

Com suas impressionantes realizações matemáticas, completadas por sua personalidade culta e encantadora, a professora Ladyzhenskaya atraiu um grande número de excelentes estudantes para trabalhar com ela no Laboratório de Matemática-Física do Instituto Steklov na Universidade de Leningrado, entre Solonnikov, Golovkin, Rivkind, Ivanov; seus alunos de Ph.D incluem L. Faddev and N. Ural'tseva. Ladyzhenskaya já era famosa mundialmente por seu trabalho quando, em 1981, ela foi eleita membro da Academia Científica Russa. Ela também é membro de inúmeras academias mundiais, dentre elas Leopoldina, a academia alemão mais antiga que existe.

Até 1998 ela foi presidente da Sociedade Matemática de St. Petersburg, sendo assim sucessora de Leonhard Euler em seu escritório.

O ano 1989 trouxe o fim das regras comunistas e uma virada na democracia e na economia da Rússia. Os matemáticos russos puderam viajar mais livremente; alguns deles foram possibilitados de visitar países ocidentais pela primeira vez. Ao mesmo tempo, a situação econômica desses matemáticos se deteriorou conforme os salários foram baixando em comparação aos prêmios por boa moral. Portanto, nós podemos facilmente nos compadecer daqueles cientistas, dentre eles os principais matemáticos russos, que aceitaram ofertas estrangeiras e deixaram seu país à procura de condições de trabalho mais favoráveis e um futuro seguro para suas famílias em qualquer outro lugar. A professora Ladyzhenskaya, entretanto, permaneceu e ajudou a guiar o Instituto Steklov durante os anos de mudança na economia e a promover as carreiras de seus cooperadores lá, assim continuando fielmente o legado de seu pai. Ela apenas aposentou-se oficialmente de sua posição no Instituto Steklov em 2000. Por um longo tempo, ela usou sua nova liberdade para viajar e fazer contatos que beneficiassem seus alunos e para a melhora da instituição que foi seu lar científico por quase cinqüenta anos. A Universidade de Bonn destaca-se proeminentemente entre as instituições com as quais ela tem construído duradouras relações, o que tem favorecido muito ambos os lados.

Fontes: http://paginas.terra.com.br/educacao/calculu/Historia/olga.htm

 


 

 

Marie Sophie Germain

 É a ilustração típica do preconceito existente com relação ao trabalho feminino nos meios científicos de sua época.

Nasceu em Paris, França em primeiro de abril de 1776, filha de Marie Madelaine Gruguelin e de Ambroise François um próspero comerciante de seda. Decidida a se tornar matemática, leu tudo o que existia sobre essa disciplina na biblioteca de seu pai , e nos livros que conseguia obter, em particular obras de Arquimedes, Euler e Newton. Conseguiu também notas de aula de cursos da Ecole Polytechnique de Paris, que não permitia a presença de mulheres em suas dependências. Sua educação matemática, autodidata, muito irregular, mostrou uma série de lacunas que viriam a lhe causar transtornos futuramente. Nunca se casou; os bens de família foram suficientes para garantir sua subsistência até a ocasião de sua morte.

Correspondeu-se com grandes matemáticos de sua época Joseph Louis Lagrange, Adrien Marie Legendre e Carl Friedrich Gauss, algumas vezes sob o pseudônimo de M. Leblanc receosa que sua condição de mulher viesse a impedir que seus trabalhos recebessem a devida atenção. Com Lagrange Sophie manteve um relacionamento de mútuo respeito sendo que esse matemático eventualmente se tornou seu conselheiro e incentivador. Para Legendre Sophie escreveu acerca de problemas sugeridos pela obra Essai sur le Théorie des Nombres de 1798 sendo que suas descobertas foram anexadas pelo autor à segunda edição desse livro. Entre 1804 e 1809 correspondeu-se com Gauss a respeito dos métodos apresentados por esse renomado matemático em suas "Disquisitiones Arithmeticae" Durante esse período produziu alguns resultados importantes relacionados com o "Último Teorema de Fermat".

Em 1811,1813 e 1816 apresentou três trabalhos teóricos sobre placas vibrantes baseados nos experimentos do físico alemão Ernst F.F. Chladni a última das quais recebeu um prêmio do Institut de France. Gauss recomendou-a fortemente para um grau de doutor honorário da Universidade de Göttingen, mas Sophie Germain morreu antes que essa honra lhe fosse concedida. Sophie Germain faleceu em 27 de Junho de 1831. Em seu atestado de óbito não aparece a profissão de cientista ou matemática mas a de rendatária.

Fontes: Dictionary of Scientific Biographies (1970-1990), Encyclopaedia Britannica, tópico "Germain, Sophie" http://paginas.terra.com.br/educacao/calculu/Historia/marie.htm

 

 

Theano (nasceu 546 aC), a mulher do filósofo e matemático grego Pitágoras, corriam a escola pitagórica no sul da Itália ainda no final do sexto século aC após a morte de seu marido. A ela é creditado  ter escrito tratados sobre matemática, física, medicina e psicologia infantil.  Seu trabalho mais importante é dizer que houve uma elucidação do princípio da Golden Mean.  Pitágoras mais conhecido por elaborar o teorema pitagórico _ que afirma que a soma dos quadrados dos lados de um triângulo direito é igual ao quadrado da hipotenusa _ Pitágoras foi considerado o maior cientista da antiguidade clássica grego por estudiosos e é considerado como tendo sido o primeiro matemático. o, dado que Pitágoras antes Platão viveu sete gerações, a maior parte das informações sobre ele provém de fontes bastante tardia --- alguns tão tarde como o século III dC

 

 home    a_meu_respeito  depoimentos Alunos  Livros do Profgarcia

Atualizado em 26/03/2017

Criação: Profgarcia

Proibida a reprodução parcial o total sem autorização prévia.

Copyright © 2004-2005 Todos os Direito reservados